30.1.11

Especial: "Corpo a Corpo" (1984)

Exibida na TV Globo entre novembro de 1984 e junho de 1985, "Corpo a Corpo" teve como temas centrais a ascensão social e a vingança. Escrita por Gilberto Braga e dirigida por Dennis Carvalho, a novela foi exibida em 179 capítulos no horário das oito – sucedendo a fracassada “Partido Alto” (1984) e antecedendo a renomada “Roque Santeiro” (1985).

Uma das protagonistas da história, Débora Duarte vivia a ambiciosa Eloá, uma mulher envolvente que, em busca de projeção social, acredita ter chances de se destacar na empresa de engenharia onde trabalha ao lado do marido, o pacato Osmar (Antonio Fagundes). Ao contrário de Eloá, Osmar nunca foi um homem de grandes aspirações e critica a mulher por seu desejo descomedido de subir na vida a qualquer custo. Eles são casados há quase 20 anos e têm um filho, Ronaldo (Selton Mello).


Durante uma festa, no primeiro capítulo, Eloá, frustrada por não ter conseguido uma promoção na empresa, conhece o misterioso Raul (Flávio Galvão), aparentemente o demônio, e faz um pacto com ele. Assim, ela começa a se destacar profissionalmente e logo assume um cargo de direção na empresa. No entanto, o preço dessa ascensão custa caro para a engenheira civil, que vê seu casamento com Osmar ruir. Como se não bastasse, a verdadeira identidade de Raul é uma incógnita e Eloá precisa descobrir quais são os reais interesses dele na sua vida. Na verdade, tudo não passa de um plano de Tereza (Glória Menezes), que fora desprezada no passado por Osmar, seu grande amor, e decidiu vingar-se dele enviando Raul para destruir o seu casamento com Eloá. Viúva, Tereza cria com amor e dedicação sua única filha, a doce Heloísa (Isabela Garcia). Ou seja, a personagem não era nenhuma vilã, apenas alimentava um desejo de destruir o homem que tanto lhe fez sofrer.


Joana Fomm foi outro grande nome de “Corpo a Corpo”. A atriz deu vida à vilã Lúcia Gouveia, uma mulher que vive em conflito com um passado glorioso e um presente sem dinheiro, ao mesmo tempo em que busca um homem cheio da grana que possa lhe devolver o luxo de outrora. Ao longo da trama, ela consegue o que tanto almeja, casando-se com o milionário Alfredo Fraga Dantas (Hugo Carvana), proprietário da firma em que trabalha Eloá. Mas o coração de Lúcia tem outro dono. No passado, ela viveu um romance com o ex-presidiário Amauri (Stênio Garcia), que, ao saber do casamento dela com Alfredo, está decidido a matar o milionário. No último capítulo, Lúcia e Amauri morrem em um incêndio, em uma das cenas mais fortes da novela. Raul, o suposto diabo, também morre nessa labareda. Ainda como desfecho no capítulo final, Eloá faz as pazes com Osmar, para alegria de seu filho Ronaldo, e Tereza, que resolve esquecer de vez a sua vendeta, se envolve com Alfredo.


Malu Mader e Lauro Corona, que viveram os namorados Beatriz e Rafael, também tiveram destaque em “Corpo a Corpo”. Em sua segunda novela, Malu Mader formava aqui sua primeira parceria com Gilberto Braga. A atriz, como se sabe, é figurinha certa na maioria das produções do autor.


O envolvimento dos personagens de Zezé Mota e Marcos Paulo, Sônia e Cláudio, é lembrado como a maior polêmica desta novela. O romance entre uma negra de classe média com um rapaz branco e rico causou burburinhos dentro e fora da trama. Contrariando o desejo preconceituoso do público, o casal termina junto e apaixonado.

A trama do diabo foi o que mais chamou a atenção do público em "Corpo a Corpo". No início, Gilberto Braga, os diretores e a própria TV Globo estavam receosos de tocar no misticismo do povo, mas, surpreendentemente, a história agradou. Vale ressaltar que o texto em nenhum momento garantiu que o personagem era realmente o demônio, deixando o expectador sempre intrigado. Este trabalho, aliás, é considerado o melhor do currículo de Flávio Galvão.


“Corpo a Corpo” marcou a estreia de três futuras grandes atrizes na TV Globo: Lilia Cabral (Margarida), Luiza Tomé (Alice) e Andréa Beltrão (Ângela). Na vinheta de abertura, elas eram creditadas, nessa mesma ordem, na seção “apresentando”.

O elenco também contava com nomes como:

Isabela Garcia – Heloisa
Eloísa Mafalda – Guiomar
Renata Fronzi – Zoraide
Caíque Ferreira – Zeca
Marcelo Picchi – Olavo
José de Abreu – Victor
Ruth de Souza – Jurema
Duse Nacaratti – Virgínia
Zeni Pereira – Odete
entre outros.


Joana Fomm lembra que certa vez, durante a novela, estava em um bar com um grupo de amigos e o garçom que os atendia não quis servi-la, alegando que ela era uma má pessoa. Ela respondeu que a Lúcia, sua personagem, era má, mas ela, Joana, não. O garçom não soube separar as coisas e não a atendeu.

O tema de abertura de “Corpo a Corpo”, “Tão Beata, Tão à Toa”, era cantado por Marina. A trilha sonora da novela ainda reuniu nomes como Elis Regina, Gal Costa, Maria Bethânia, João Bosco, Fagner, Caetano Veloso, Zizi Possi, Maysa, Diana Ross e Scorpions (com a famosa “Still Loving You”).

Sempre sincero em suas entrevistas, Gilberto Braga conta que gostou bastante de escrever “Corpo a Corpo”. “A novela foi bem, e eu sempre pensei: ‘Por que falam de ‘Dancin’ Days’ e ‘Água Viva’ quando citam os meus sucessos e não falam de ‘Corpo a Corpo’?’. Era uma novela extremamente bem feita, com uma trama bem armada... Até hoje, é muito elogiada por escritores. Sempre encontro algum escritor de novela que elogia ‘Corpo a Corpo’. Talvez o público não se lembre tanto da novela porque não tinha como protagonista uma estrela tradicional, como Sônia Braga em ‘Dancin’ Days’.”, declarou o novelista no livro “Autores - Histórias da Teledramaturgia”, da Ed. Globo.


 Estreia: 26 de novembro de 1984
 Fim: 21 de junho de 1985
 Duração: 179 capítulos
 Horário: 20h
 Emissora: TV Globo
 Autor: Gilberto Braga
 Colaboração: Leonor Bassères
 Direção: Dennis Carvalho e Jayme Monjardim
 Direção Geral: Dennis Carvalho


4 Comentários:

Alan Raspante

Ual Augusto, excelente post. Muito bem feito e claro, bonito visualmente além de estar super bem escrito!

Fiquei com muita vontade de conferir...Ah,sea Globo colocasse no 'Vale a pena..' Seria realmente uma surpresa!

[]s

Blog de Knunes

Corpo a Corpo foi uma novela surpreendente em todos os sentidos por causa do tal pacto com o diabo, mas outro tema também abordado pelo Gilberto Braga foi o amor de um branco com uma negra. A trilha sonora deu um show à parte. Tenho o disco internacional e nesta trilha teve também o Prince com a música tema do filme Purple Rain, além da banda Scorpions que inclusive tocou no Rock in Rio justamente na época que a balada Still Loving you estourava nas rádios, já a música da Diana Ross, uma homenagem ao cantor Marvin Gaye que foi assassinado pelo pai foi escrita por Lionel Richie é pra mim mais lembrada por causa das Olimpíadas de Los Angeles e o ouro olímpico de Joaquim Cruz.

Alan Prodelik

O Dennis Carvalho e Gilberto Braga é uma velha (e bota velha) dupla de produção de novelas. Hahhaa posso estar sendo cruel mais não era tão bonita assim a mocinha claro que pra época era mas com as coisas mudam... Espero fazer uma boa tabelinha contigo! Abraço!

Tô Ligado

Opaaa... grande Augusto... sempre surpreendendo!

Será que conseguiremos boas novelas como antigamente?

Postar um comentário