21.12.11

"Tapas & Beijos" encerra primeira temporada em alta

Quando a Globo descartou a possibilidade de produzir uma temporada do "Programa Piloto", fiquei muito triste. Tudo bem que a proposta não era lá essas coisas, mas era uma oportunidade única de ver duas atrizes excepcionais em cena, juntas. Fernanda Torres e Andréa Beltrão são bárbaras desde sempre, e disso ninguém discute. Mas aí surgiu uma nota dando conta de que outro programa estava sendo preparando especialmente para elas estrelarem. Fiquei animadíssimo, até ficar a par da fraca premissa da coisa. As desventuras de duas vendedoras de uma loja de noiva parecia  muito preguiçoso, limitado, sem grandes possibilidades. Não vi e não gostei. Mas, como já disse, Fernanda e Andréa sempre valem o ingresso, então...

Aí veio a bendita noite da estreia. E, infelizmente, eu estava certo. "Tapas & Beijos" era de uma fraqueza espantosa, com um texto de, sem brincadeira, causar vergonha alheia. Até um vício cômico da surrada série "A Grande Família" pintou em certo momento. Falo daqueles diálogos que dão um giro de 360 graus, cuja piada está em inverter as falas dos personagens no arremate da cena. Como se não bastasse, Joelma vinha cacarejando na vinheta de abertura, com um hit sovado da música sertaneja. Mais populacho, impossível. Pensei: trocaram seis por meia-dúzia, ao rifarem o "Casseta & Planeta" e abrirem as cortinas para o novo (rançoso) humorístico de Cláudio Paiva. Fiquei preocupado com aquilo, com essa nova política da Globo em voltar suas atenções à "nova classe C", empurrando goela abaixo programas de gosto bastante duvidoso.

Encarar o segundo episódio só valia mesmo por causa das divas protagonistas, por puro e simples prestígio. E, como era de se imaginar, nada de melhora na semana seguinte. O problema estava realmente no texto pouco inspirando, quase tão irrisório quanto o da fracassada sitcom "Batendo Ponto". A diferença entre uma e outra estava nos números de audiência: a primeira caiu nas graças do público desde a estreia, o que não ocorreu com a segunda, que saiu do ar bem antes do previsto.

Com o passar do tempo, felizmente, as coisas deram uma melhorada. Alguns episódios cumpriram a obrigação de fazer rir. Aquele em que Fátima (Fernanda Torres) e Sueli (Andréa Beltrão) levam Flavinha (Fernanda de Freitas) ao forró, exibido em meados de julho, divertiu e provocou bem mais do que sorrisos amarelos. Não vi, mas dizem que o episódio da participação da Banda Calypso também foi muito bom. Outros, contudo, lembraram o fiasco do início, como foi o caso daquele todo trabalhado no flashback, no ar dia 9 de agosto. Ou seja, a certa altura, "Tapas & Beijos" acabou entrando nos trilhos, embora cambaleando aqui e acolá.

A série chegou ao fim de sua primeira temporada nesta terça-feira (20), com um episódio acima da média. Nele, Fátima e Sueli finalmente trocam alianças com seus amados Armane (Vladimir Brichta, ótimo no papel) e Jorge (Fábio Assunção, com mais tiques do que nunca) e festejam com seus amigos no bar do Seu Chalita (Flávio Migliaccio), vestidas como no final do primeiro e esquecível episódio.

Até abril, a ordem é recarregar as baterias para emplacar uma segunda e longa temporada. Que venha melhor, please!

Siga o blogueiro: @gwtto 


Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário