20.7.11

"Cordel Encantado" é um conto de fadas arretado

Desde abril, a Globo vem nos presenteando com uma trama ousada, criativa, com pitadas de aventura e, claro, muito romance. "Cordel Encantado", atual novela das seis, vem conquistando o público cada vez mais, e isso não se reflete apenas nos números do Ibope, mas também nas ruas.

Duca Rachid & Thelma Guedes, em seu terceiro trabalho juntas, vêm mostrando que ainda dá pra se ter ideia original na teledramaturgia brasileira, usando elementos que consagraram o gênero há décadas atrás, como o clichê dos mocinho enfrentado tudo e todos por amor, e vilões carrascos.

O elenco é um primor. Os jovens protagonistas, Cauã Reymond, Bianca Bin, Bruno Gagliasso e Nathália Dill, defendem com maestria seus personagens, e ao lado de Jayme Matarazzo formam um “redemoinho” amoroso pra lá de interessante. Os já consagrados atores também merecem destaque: Carmo Dalla Vecchia com o seu Rei Augusto, já foi, há alguns capítulos, dono de cenas emocionantes em busca da filha perdida, a princesa Aurora (papel de Bianca); Osmar Prado como o delegado Batoré, Marcos Caruso como o prefeito Patácio e Zezé Polessa como a primeira-dama Ternurinha, nos garantem momentos hilários; além de Berta Loran, Claudia Ohana, Débora Duarte, Genézio de Barros, Guilherme Fontes, Felipe Camargo, Tuca Andrada, Marcelo Novaes, Matheus Nachtergaele, que também abrilhantam a trama.

Mas há uma dupla que merece um adendo especial nesse texto. Débora Bloch, como a cruel Úrsula, e Luiz Fernando Guimarães, como o mordomo Nicolau, têm nos proporcionado cenas incríveis e, às vezes, bem engraçadas, apesar de serem os vilões da história. Desde o primeiro capítulo, já víamos que eles não estavam ali a passeio, quando juntos prenderam o marido da duquesa, Petrus (Felipe Camargo), numa cela com uma máscara de ferro. Débora ao lado do estreante em novelas, e já considerado galã, Domingos Montagner (o capitão Herculano, rei do cangaço), também já protagonizaram ótimas passagens na narrativa.

Atualmente, a história passa por uma transição. Timóteo (Bruno Gagliasso) e Úrsula, já revelada a grande vilã, se uniram e deram um golpe de estado em Brogodó, o que deve render novos desencadeamentos à trama. Até o fim do folhetim, muita água ainda deve rolar nesse, como já se falava nas chamadas de estreia, "conto de fadas arretado".

Texto enviado por Gabriel Gomes - editor do blog Telenotícias
Envie o seu também para: contato@galeriadenovelas.com


3 Comentários:

Lucas Andrade

E aí guri, tranquilo?
Olha só... eu não consigo me prender na novela, apesar de saber de todas as suas qualidades, porque não aprovo o trio Cauã-Bianca-Bruno. Não gosto dos três, não adianta. É preconceito mesmo!!! hehehe

• blogaritmox •

É verdade, e pelo menos pra mim, é a melhor novela em muitos anos.

Anônimo

a novela se tornou assistida principalmente por meio da uniao do humor aventura e romance,na qual as autoras fizeram um otimo enredo e uma historia muito boa,principalmente nos capitulos deste mes e espero que também nos meses vindouros a novela obtenha todo sucesso que merecem

Postar um comentário