22.1.11

Os dois pepinos de "Ribeirão do Tempo"

Sempre que não há nada melhor no horário, vejo "Ribeirão do Tempo". A novela da Record, que estreou um dia após "Passione" e ainda não tem data para terminar, não é necessariamente ruim, tem lá suas qualidades. Evidentemente que o autor Marcílio Moraes já escreveu coisa muito melhor, mas este não é um de seus piores trabalhos.

Contudo, o que se observa é que "Ribeirão do Tempo" tem dois problemas bem cabeludos. A primeira mácula é ter que egolir Taumaturgo Ferreira como um dos principais nomes do elenco. O fraco ator vive o Querêncio, um bebum que se descobre herdeiro de uma fortuna e, mais tarde, acaba sendo eleito prefeito da cidade. Verdade seja dita, um personagem tão rico como este não poderia ser colocado nas mãos do apalermado Taumaturgo. Escalação totalmente equivocada. Em 30 anos de carreira, Taumaturgo nunca convenceu ou teve destaque em algum trabalho. Desculpe a franqueza inexorável, mas esta é a realidade.

O outro ponto fraco do folhetim de Marcílio é o personagem Ari Jumento, ex-prefeito de Ribeirão do Tempo, interpretado por André de Biase. Aqui ocorre o contrário do que citei no parágrafo acima: o personagem é que é ruim, não o ator. Figura folclórica da cidade, Ari é definido como um sujeito atrapalhado com as palavras, sempre inventando vocábulos estrambólicos ao tentar impressionar com seus famosos discursos. A ideia é fazer o espectador se desmanchar em gargalhadas com os embaraços do fulano, imagina-se. Porém, o que acontece não é bem isso. Eu, por exemplo, não vejo graça no bendito personagem. E credito a culpa ao Marcílio Moraes. André de Biase tenta fazer milagre com o impotente texto que lhe é entregue, mas, naturalmente, não consegue salvar o seu Ari Jumento do estupor. Pena.

Não fosse por esses dois pepinos, "Ribeirão do Tempo" certamente seria muito mais interessante.


3 Comentários:

FABIOTV

Olá, tudo bem? Rapaz, acredito que você seja um jovem .. Taumaturgo Ferreira teve bons momentos nos anos 80 na Globo, por exemplo.. Se ele fosse fraco, não estaria há tantos anos na TV.. O problema de Ribeirão do Tempo é o enredo mesmo... Começou mal, melhorou, agora piorou de novo... Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

! Marcelo Cândido !

Acho Taumaturgo excelente na proposta do personagem totalmente debochado!!!

A novela é boa mas o problema é o esticamento...

Augusto César

Fabio,

O fato de eu ser, como você diz, "um jovem" não influi em nada no meu conhecimento sobre a história da TV. Sou perfeitamente ciente do que a TV produziu ou de quem brilhava nela antes mesmo do meu nascimento. Sou um pesquisador nato - especialmente da teledramaturgia. Não estou me gabando ou bancando o sabichão, longe disso, só estou tentando deixar claro que não sou um mero telespectador restringido ao que vi dos anos 90 pra cá. Além do mais, não sou irresponsável ao ponto de escrever qualquer coisa no blog só para "causar", apesar do espaço refletir a minha opinião.

Quando afirmo que o Taumaturgo Ferreira é um fraco ator e que jamais convenceu ou se destacou em algum trabalho, é porque sei que isso é verdade. Ele mandou bem ao viver o Lucas de "Top Model" em 1989? O grande sucesso que a novela fez não significa que o ator tenha certificado seu talento. São duas coisas distintas.

O Jorge Brasil, da revista Minha Novela, compartilha da mesma opinião que eu. Veja o que ele escreveu em seu blog em agosto do ano passado: “O lamentável é que Querêncio seja interpretado por um péssimo ator como Taumaturgo. Não consigo assistir suas cenas, tamanho incômodo que ele me provoca. E não é de hoje. Desde Top Model (1989) que fico impressionado com o cartaz que dão para alguém tão desprovido de talento. Imagino o que um Tony Ramos, Alexandre Borges ou Humberto Martins fariam com o papel…”

"Se ele fosse fraco, não estaria há tantos anos na TV". Essa sua afirmativa é totalmente questionável, Fabio. Já reparou quantos artistas sem talento sobrevivem há anos na TV?! Figuras de status que não justificam tal prestígio existem aos baldes por aí. Respeitamos porque todo mundo também respeita sem questionar.

Enfim, é isso: não retiro nenhuma palavra do post. Grande abraço!

Postar um comentário