30.1.11

Especial: "Corpo a Corpo" (1984)

Exibida na TV Globo entre novembro de 1984 e junho de 1985, "Corpo a Corpo" teve como temas centrais a ascensão social e a vingança. Escrita por Gilberto Braga e dirigida por Dennis Carvalho, a novela foi exibida em 179 capítulos no horário das oito – sucedendo a fracassada “Partido Alto” (1984) e antecedendo a renomada “Roque Santeiro” (1985).

Uma das protagonistas da história, Débora Duarte vivia a ambiciosa Eloá, uma mulher envolvente que, em busca de projeção social, acredita ter chances de se destacar na empresa de engenharia onde trabalha ao lado do marido, o pacato Osmar (Antonio Fagundes). Ao contrário de Eloá, Osmar nunca foi um homem de grandes aspirações e critica a mulher por seu desejo descomedido de subir na vida a qualquer custo. Eles são casados há quase 20 anos e têm um filho, Ronaldo (Selton Mello).


Durante uma festa, no primeiro capítulo, Eloá, frustrada por não ter conseguido uma promoção na empresa, conhece o misterioso Raul (Flávio Galvão), aparentemente o demônio, e faz um pacto com ele. Assim, ela começa a se destacar profissionalmente e logo assume um cargo de direção na empresa. No entanto, o preço dessa ascensão custa caro para a engenheira civil, que vê seu casamento com Osmar ruir. Como se não bastasse, a verdadeira identidade de Raul é uma incógnita e Eloá precisa descobrir quais são os reais interesses dele na sua vida. Na verdade, tudo não passa de um plano de Tereza (Glória Menezes), que fora desprezada no passado por Osmar, seu grande amor, e decidiu vingar-se dele enviando Raul para destruir o seu casamento com Eloá. Viúva, Tereza cria com amor e dedicação sua única filha, a doce Heloísa (Isabela Garcia). Ou seja, a personagem não era nenhuma vilã, apenas alimentava um desejo de destruir o homem que tanto lhe fez sofrer.


Joana Fomm foi outro grande nome de “Corpo a Corpo”. A atriz deu vida à vilã Lúcia Gouveia, uma mulher que vive em conflito com um passado glorioso e um presente sem dinheiro, ao mesmo tempo em que busca um homem cheio da grana que possa lhe devolver o luxo de outrora. Ao longo da trama, ela consegue o que tanto almeja, casando-se com o milionário Alfredo Fraga Dantas (Hugo Carvana), proprietário da firma em que trabalha Eloá. Mas o coração de Lúcia tem outro dono. No passado, ela viveu um romance com o ex-presidiário Amauri (Stênio Garcia), que, ao saber do casamento dela com Alfredo, está decidido a matar o milionário. No último capítulo, Lúcia e Amauri morrem em um incêndio, em uma das cenas mais fortes da novela. Raul, o suposto diabo, também morre nessa labareda. Ainda como desfecho no capítulo final, Eloá faz as pazes com Osmar, para alegria de seu filho Ronaldo, e Tereza, que resolve esquecer de vez a sua vendeta, se envolve com Alfredo.


Malu Mader e Lauro Corona, que viveram os namorados Beatriz e Rafael, também tiveram destaque em “Corpo a Corpo”. Em sua segunda novela, Malu Mader formava aqui sua primeira parceria com Gilberto Braga. A atriz, como se sabe, é figurinha certa na maioria das produções do autor.


O envolvimento dos personagens de Zezé Mota e Marcos Paulo, Sônia e Cláudio, é lembrado como a maior polêmica desta novela. O romance entre uma negra de classe média com um rapaz branco e rico causou burburinhos dentro e fora da trama. Contrariando o desejo preconceituoso do público, o casal termina junto e apaixonado.

A trama do diabo foi o que mais chamou a atenção do público em "Corpo a Corpo". No início, Gilberto Braga, os diretores e a própria TV Globo estavam receosos de tocar no misticismo do povo, mas, surpreendentemente, a história agradou. Vale ressaltar que o texto em nenhum momento garantiu que o personagem era realmente o demônio, deixando o expectador sempre intrigado. Este trabalho, aliás, é considerado o melhor do currículo de Flávio Galvão.


“Corpo a Corpo” marcou a estreia de três futuras grandes atrizes na TV Globo: Lilia Cabral (Margarida), Luiza Tomé (Alice) e Andréa Beltrão (Ângela). Na vinheta de abertura, elas eram creditadas, nessa mesma ordem, na seção “apresentando”.

O elenco também contava com nomes como:

Isabela Garcia – Heloisa
Eloísa Mafalda – Guiomar
Renata Fronzi – Zoraide
Caíque Ferreira – Zeca
Marcelo Picchi – Olavo
José de Abreu – Victor
Ruth de Souza – Jurema
Duse Nacaratti – Virgínia
Zeni Pereira – Odete
entre outros.


Joana Fomm lembra que certa vez, durante a novela, estava em um bar com um grupo de amigos e o garçom que os atendia não quis servi-la, alegando que ela era uma má pessoa. Ela respondeu que a Lúcia, sua personagem, era má, mas ela, Joana, não. O garçom não soube separar as coisas e não a atendeu.

O tema de abertura de “Corpo a Corpo”, “Tão Beata, Tão à Toa”, era cantado por Marina. A trilha sonora da novela ainda reuniu nomes como Elis Regina, Gal Costa, Maria Bethânia, João Bosco, Fagner, Caetano Veloso, Zizi Possi, Maysa, Diana Ross e Scorpions (com a famosa “Still Loving You”).

Sempre sincero em suas entrevistas, Gilberto Braga conta que gostou bastante de escrever “Corpo a Corpo”. “A novela foi bem, e eu sempre pensei: ‘Por que falam de ‘Dancin’ Days’ e ‘Água Viva’ quando citam os meus sucessos e não falam de ‘Corpo a Corpo’?’. Era uma novela extremamente bem feita, com uma trama bem armada... Até hoje, é muito elogiada por escritores. Sempre encontro algum escritor de novela que elogia ‘Corpo a Corpo’. Talvez o público não se lembre tanto da novela porque não tinha como protagonista uma estrela tradicional, como Sônia Braga em ‘Dancin’ Days’.”, declarou o novelista no livro “Autores - Histórias da Teledramaturgia”, da Ed. Globo.


 Estreia: 26 de novembro de 1984
 Fim: 21 de junho de 1985
 Duração: 179 capítulos
 Horário: 20h
 Emissora: TV Globo
 Autor: Gilberto Braga
 Colaboração: Leonor Bassères
 Direção: Dennis Carvalho e Jayme Monjardim
 Direção Geral: Dennis Carvalho

29.1.11

Abertura: "Corpo a Corpo" (1984)

Enquanto uns vão relembrar, outros vão conhecer. Abaixo, a sensual e misteriosa abertura da novela "Corpo a Corpo" (1984), uma das tramas mais polêmicas de Gilberto Braga. A vinheta é embalada pela voz da cantora Marina Lima, cantando "Tão Beata, Tão à Toa".

E este é apenas um aperitivo dessa grande produção dos anos 80, pois o GALERIA DE NOVELAS entrará no túnel do tempo e falará sobre tudo que envolveu "Corpo a Corpo" em sua exibição - com uma caprichada galeria de fotos. Isso vai acontecer na postagem especial deste domingo. Os nostálgicos de plantão vão adorar! Por hora, curtam a abertura!



Clic: Suzana Vieira em 1975


Suzana Vieira, aos 33 anos, em 1975. Nesse ano, a veterana atriz brilhou na novela "Escalada", de Lauro César Muniz, vivendo a interiorana Cândida. O trabalho alavancou de vez a carreira de Suzana.


0 comentários

28.1.11

Clic: Christine Fernandes e Gabriel Braga Nunes em "Essas Mulheres"


Christine Fernandes e Gabriel Braga Nunes em cena da novela "Essas Mulheres", exibida na Record em 2005. Na trama, escrita por Marcílio de Moraes e Rosane Lima, eles viviam os protagonistas Aurélia e Fernando. A história se passava no Rio de Janeiro do século XIX.

27.1.11

Detalhes sobre "Vidas em Jogo", a nova novela da Record

A Rede Record já deu início aos trabalhos de sua nova novela das 22h, que substituirá "Ribeirão do Tempo" em abril. "Vidas em Jogo", escrita por Cristianne Fridman e dirigida por Alexandre Avancini, vai narrar a história de dez amigos que jogam na loteria e ganham um prêmio milionário. A jogada de sorte mudará a vida de todos, para o bem e para o mal. Mortes misteriosas acontecerão, movimentando a trama do começo ao fim e aguçando a curiosidade e o instinto investigativo do espectador. Abaixo, o GALERIA DE NOVELAS faz um balanço das informações que já se tem de "Vidas em Jogo":

>> O elenco participou durante duas semanas de vários workshops. Cláudio Heinrich, que viverá o garçom Elton na trama, aprendeu a servir mesas e atender clientes. Guilherme Berenguer, Sasha Bali e Simone Spoladore jogaram na loteria para entrar no clima de seus personagens - Francisco, Jorge e Andréa, respectivamente.

>> Amandha Lee, que vai viver a cozinheira Margarida, do restaurante de comida nordestina da novela, está engordando. Para encarnar a personagem, a atriz deve chegar aos 70 quilos.

>> Após viver o Rei Assuero na minissérie “A História de Ester”, em março do ano passado, Marcos Pitombo volta à telinha na pele de um taxista.

>> Ainda no ar como a Samara de “Sansão e Dalila”, Thaís Fersoza também está confirmada em um dos principais papéis de “Vidas em Jogo”. Ela viverá Patrícia, uma garota rica que namora escondido o motorista da família (o personagem de Berenguer), mas não leva o namoro a sério. Para interpretá-la, Thaís já mudou totalmente o visual, adotando um cabelo curto e loiro.

>> Betty Goulart, contratada pela Record no final de 2010, dará vida à grande vilã da história. Dona de um caráter duvidoso, Regina é proprietária de uma construtora que não está muito bem financeiramente. A personagem de Thaís Fersoza será uma de suas duas filhas.

>> Guilherme Berenguer e Julianne Trevisol serão os protagonistas do folhetim, o par romântico principal. Ele será o Francisco e ela, a Rita. Percussionista de um grupo de samba-rock e motorista da vilã Regina, Francisco será um dos sortudos da loteria. Já Rita trabalha em uma confeitaria, mas o sonho da sua vida é ser bailarina. Por conta desse seu sonho, seu pai a expulsará de casa.

>> Lucinha Lins e Luiz Guilherme, que acaba de assinar com a emissora, viverão o casal Zizi e Adalberto (pai de Rita).

>> Famoso por interpretar o Major Rocha no filme “Tropa de Elite 2: O Inimigo agora É Outro”, Sandro Rocha também estará em “Vidas em Jogo”. Ele será Cléber (Sandro Rocha), um ex-policial, expulso da corporação por envolvimento com as milícias e que faz trabalhos sujos para Regina.

>> Outros nomes do elenco: Leonardo Vieira, Jussara Freire, Paulo César Grande, André di Mauro, Vanessa Gerbelli, Bia Montez, Rômulo Arantes Neto, Ricardo Petraglia, Silvio Guindane, Mario Gomes, Letícia Colin, Denise Del Vecchio, Aline Fanju, Nill Marcondes, entre outros.

>> Esta será a 19ª novela produzida pela Record desde a sua triunfante “retomada” da dramaturgia em 2004.

A estreia de “Vidas em Jogo” está programada para abril, assim que o “Big Brother Brasil”, da Globo, chegar ao fim.


7 comentários

Hora do Intervalo: "Sol de Verão" (1982)

25.1.11

Galeria: Vilãs de novelas (parte V)

01. Laura (Vivianne Pasmanter) - Por Amor (1997)
02. Violeta Áquila (Vera Holtz) - Três Irmãs (2008)
03. Amparo (Glauce Graieb) - Marisol (2002)
04. Taís (Alessandra Negrini) - Paraíso Tropical (2007)
05. Heloísa (Maitê Proença) - Cara & Coroa (1995)
06. Ruth (Carol Castro) - O Profeta (2006)
07. Lucrécia Borges (Eva Wilma) - Começar de Novo (2004)
08. Zilda (Cássia Kiss) - Eterna Magia (2007)
09. Fátima (Tânia Bondezan) - Esmeralda (2004)
10. Yolanda Patrini (Joana Fomm) - Dancin' Days (1978)
11. Frau Herta (Ana Beatriz Nogueira) - Ciranda de Pedra (2008)
12. Augusta Eugênia (Arlete Salles) - Porto dos Milagres (2001)


5 comentários

24.1.11

Ricardo Pereira entra em "Insensato Coração" em fevereiro

Dia 18 de fevereiro, uma sexta. Essa é a data programada para a entrada de Ricardo Pereira em "Insensato Coração", novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares que está em seus primeiros capítulos na faixa nobre global.

Na história, o ator português vive um brasileiro chamado Henrique Taborda, braço direito do mau caráter Cortez (Herson Capri). Definido como um sujeito culto e ambicioso, Henrique chega para desestabilizar ainda mais o romance dos mocinhos Pedro (Eriberto Leão) e Marina (Paola Oliveira). Contudo, ainda não sabemos se o personagem é de fato um vilão ou apenas um cortejador que surge para apimentar a relação dos pombinhos protagonistas.

Se o plano inicial for mantido, Ricardo Pereira não ficará em “Insensato Coração” até o fim. Como já foi repercutido por este blogueiro tempos atrás, o ator deixará a novela das nove na metade para mergulhar em "Um Mundo Melhor", novo folhetim de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa que estreia na faixa das sete nos derradeiros meses deste ano. Ano próspero para o portuga, hein?!

Fortes emoções em "Insensato Coração"

"Insensato Coração" reserva fortes emoções aos noveleiros no capítulo desta segunda-feira (24). Inconformada com o fim do noivado, Luciana insiste para Pedro (Eriberto Leão) levá-la em sua viagem ao Mato Grosso, na esperança de fazer as pazes. O piloto resiste, mas acaba aceitando que ela embarque no avião.

Mas a viagem acaba se transformando em uma verdadeira tragédia. Em poucos segundos, a aeronave começa a perder altura e inicia um mergulho em direção ao chão, se espatifando e explodindo. Marina (Paola Oliveira), que estava no aeroporto observando a decolagem, corre desesperada para o local do acidente e logo o socorro é acionado. Como sequência, Luciana morre e Pedro fica sem o movimento das pernas. Luciana, é interessante registrar, é a segunda personagem a bater a caçuleta em menos de 10 capítulos de novela - Jonas, interpretado por Tuca Andrada, foi dessa para uma melhor logo na estreia (17).

Mesmo com a morte de sua personagem em "Insensato Coração", a bela Fernanda Machado, contrariando as expectativas, não fará "Morde e Assopra", a próxima novela das 19h. A atriz deve focar no teatro nos próximos meses. Que volte logo à telinha...

Trajetória: Eriberto Leão

1997 - O Amor Está no Ar (João)
1998 - Serras Azuis (Padre Walter)
2000 - Marcas da Paixão (Ivan Barreto)
2004 - Cabocla (Tomé)
2006 - Sinhá Moça (Dimas / Rafael)
2007 - Amazônia, de Galvez a Chico Mendes (Genesco de Castro)
2007 - Duas Caras (Ítalo)
2009 - Deu a Louca no Tempo (Alberto)
2009 - Paraíso (Zeca)
2011 - Insensato Coração (Pedro)


4 comentários

Clic: Glória Pires, como Raquel, em "Mulheres de Areia"


Glória Pires na pele de Raquel, a gêmea má da segunda versão de "Mulheres de Areia" (Globo - 1993). A personagem marcou a carreira da atriz, além de ser considerada uma das piores vilãs da ficção em todos os tempos. Na trama, Glória também deu vida à Ruth, a gêmea do bem.

23.1.11

As 10 melhores pérolas de Jaqueline em "Ti-Ti-Ti"

Dei uma vasculhada na rede e encontrei alguns posts com as melhores frases da impagável Jaqueline Maldonado, a extravagante personagem de Claudia Raia em "Ti-Ti-Ti". Selecionei as 10 pérolas mais divertidas e estou publicando aqui para o seu deleite neste domingão. É hilário!

01. "Nos anos 80, pichar muro era um must, mas hoje em dia nem delinquente faz isso! Também, qual o sentido de pichar muro se hoje em dia qualquer um pode ter um blog?! Da próxima vez, escreva um blog!"

02. "Quando tinha minha banda de rock, toda semana ia pro xilindró! A última vez foi em Blumenau. Um fã pediu pra eu cantar uma música do Roupa Nova e eu ateei fogo no cabelo dele! Tem gente que não tem o menor senso de humor!"

03. "Depois da quinta tequila não consigo me lembrar de mais nada! Mas diz a lenda que eu rolei Pelourinho abaixo, gritando pra todo mundo me morder porque eu era um acarajé! No dia seguinte, eu parecia uma peneira de um e oitenta de altura! Que grande carnaval aquele!"

04. "Minha mãe foi pra Woodstock e nunca mais voltou! Eu fui criada pela minha avó, que tinha dupla personalidade e uma perna mecânica! Tem combinação mais perversa para uma avó? Toda vez que baixava a pomba gira, ela me chutava com a perna de aço!"

05. "Meu Deus!!! É a música da minha vida!!!" (ao ouvir "Ilariê", de Xuxa, na festa anos 80).

06. "Toda vez que ouço 'Ilariê', eu pergunto: ópera, pra quê? Com exceção da 'Traviata', evidentemente!"

07. "Você viu o desprezo e o nojo com que ela olhou pra mim? Como se eu fosse uma cadela sarnenta, um churrasquinho grego, um ovo colorido de boteco!"

08. "Onde se viu uma filha perguntar à mãe se ela tem um amante?! Se eu perguntasse isso à minha mãe, ela arrancava meus dentes, um por um, com um alicate de eletricista!"

09. "Meu Deus, que loucura! Eu nem acredito que realizei meu sonho! Um dia vou contar pros meus netos que fiz amor no autódromo de Interlagos!"

10. "A estas alturas, o Breno deve estar mordendo a tábua da privada, de tanta raiva!"

Agora que você já incomodou toda a vizinhança de tanto dar risada com as sandices de Jaqueline, comente!


7 comentários

22.1.11

Os dois pepinos de "Ribeirão do Tempo"

Sempre que não há nada melhor no horário, vejo "Ribeirão do Tempo". A novela da Record, que estreou um dia após "Passione" e ainda não tem data para terminar, não é necessariamente ruim, tem lá suas qualidades. Evidentemente que o autor Marcílio Moraes já escreveu coisa muito melhor, mas este não é um de seus piores trabalhos.

Contudo, o que se observa é que "Ribeirão do Tempo" tem dois problemas bem cabeludos. A primeira mácula é ter que egolir Taumaturgo Ferreira como um dos principais nomes do elenco. O fraco ator vive o Querêncio, um bebum que se descobre herdeiro de uma fortuna e, mais tarde, acaba sendo eleito prefeito da cidade. Verdade seja dita, um personagem tão rico como este não poderia ser colocado nas mãos do apalermado Taumaturgo. Escalação totalmente equivocada. Em 30 anos de carreira, Taumaturgo nunca convenceu ou teve destaque em algum trabalho. Desculpe a franqueza inexorável, mas esta é a realidade.

O outro ponto fraco do folhetim de Marcílio é o personagem Ari Jumento, ex-prefeito de Ribeirão do Tempo, interpretado por André de Biase. Aqui ocorre o contrário do que citei no parágrafo acima: o personagem é que é ruim, não o ator. Figura folclórica da cidade, Ari é definido como um sujeito atrapalhado com as palavras, sempre inventando vocábulos estrambólicos ao tentar impressionar com seus famosos discursos. A ideia é fazer o espectador se desmanchar em gargalhadas com os embaraços do fulano, imagina-se. Porém, o que acontece não é bem isso. Eu, por exemplo, não vejo graça no bendito personagem. E credito a culpa ao Marcílio Moraes. André de Biase tenta fazer milagre com o impotente texto que lhe é entregue, mas, naturalmente, não consegue salvar o seu Ari Jumento do estupor. Pena.

Não fosse por esses dois pepinos, "Ribeirão do Tempo" certamente seria muito mais interessante.

Comentando sobre "Insensato Coração"...

"Insensato Coração" está entrando nos trilhos. Com a trama cada vez mais interessante, pontuada por diálogos inspiradíssimos, já me sinto rendido ao texto de Gilberto Braga e Ricardo Linhares - o que não aconteceu com "Paraíso Tropical" (2007), última novela da dupla. O capítulo desta sexta-feira (21), com vários desdobramentos, foi disparado o melhor até agora.

Criticado por este blog num post anterior, o romance dos protagonistas Pedro (Eriberto Leão) e Marina (Paola Oliveira) começou a ganhar consistência na narrativa.

Logo, logo a audiência, inexpressiva nesta primeira semana, deve inflar. Espera-se algo superior a 35 pontos, no mínimo. Segundo dados prévios do Ibope, o capítulo desta sexta rendeu 32 pontos de média na Grande São Paulo.

Abertura: "Insensato Coração" (2011)


20.1.11

"Insensato Coração" em 8 pontos

É cedo para fazer uma avaliação mais densa, mas creio que já posso adiantar aqui as minhas primeiras impressões sobre "Insensato Coração", a nova novela das nove da Globo. Lembrando novamente que, após apenas três capítulos, é impossível formar uma opinião geral sobre a novela. Portanto, não encare este post como a minha visão definitiva da produção, ok?!

1. A PRIMEIRA CENA
A cena inicial chamou a atenção. Nela, é possível fazer uma previsão do que estar por vir nos próximos oito meses. Leo, ainda criança, mostra seu desvio de conduta ao quebrar o avião de brinquedo de seu irmão, Pedro. Raul (Antônio Fagundes) e Wanda (Natália do Vale), pais dos meninos, já aparecem como um casal em conflito. Os autores Gilberto Braga e Ricardo Linhares acertaram ao deixar esses pontos bem explícitos ao espectador.

2. GABRIEL BRAGA NUNES
Este promete ser o maior nome do elenco. Na pele do inescrupuloso Leo, Gabriel Braga Nunes já me fez agradecer ao Fábio Assunção por ter desistido da novela. Parece que os autores escreveram o vilão para o Gabriel personificar... É engraçado, mas não consigo imaginar o Fábio no papel.

3. PEDRO E MARINA
O sentimento entre os personagens principais da trama, Pedro (Eriberto Leão) e Marina (Paola Oliveira), soou falso e forçado demais. O primeiro beijo, inclusive, não convenceu. Tudo muito rápido e artificial. Nada contra os protagonistas se pegarem logo no primeiro capítulo, mas é necessário trabalhar melhor a relação dos pombinhos, vamos combinar?! Uma boa base é tudo.

4. ANTÔNIO FAGUNDES
Me condene à forca, mas vou dizer o que penso: não sei quem inventou que o Antônio Fagundes é uma estrela de primeira grandeza. O ator está sempre interpretando o mesmo personagem, com um eterno rei na barriga. Enquanto isso, Osmar Prado, muito mais competente, não tem o mesmo prestígio, infelizmente.

5. NATHALIA THIMBERG
“Passione” tinha Fernanda Montenegro, “Insensato Coração” tem Nathalia Thimberg. Eis aqui um dos grandes motivos para acompanhar o novo folhetim das nove. É sempre um imenso prazer prestigiar os veteranos da nossa dramaturgia.

6. BIBI E NATALIE
Essas duas devem cair nas graças de todos nós. Sempre com ótimas tiradas, Bibi (Maria Clara Gueiros) sabe aproveitar o que a vida tem de melhor. Natalie Lamour (Deborah Secco), por sua vez, não perde tempo e está sempre obstinada a prolongar os seus minutinhos de fama. Personagens divertidos, leves e que prometem aprontar bastante. Fique de olho nelas.

7. GLÓRIA
Glória Pires ainda não deu as caras com a sua Norma, mas algo me diz que teremos aí um personagem fortíssimo. Ansioso para ver a fabulosa atriz novamente num personagem do time do mal. A última vez que Glória encarnou uma figura ímpia na TV foi em “O Rei do Gado” (1996), vivendo a falsa herdeira Rafaela Berdinazzi.


8. ABERTURA
A vinheta de abertura é linda, mas pouquíssimo criativa. O truque da câmera passeando por algum objeto, aqui uma escultura do Zimbábue, é tão velho quanto andar para frente. O designer Hans Donner segue errando mais que acertando. A logomarca, simplória demais, também deixa muito a desejar. Em contrapartida, felizmente, a voz de Maria Rita, cantando “Coração em desalinho”, dá um charme todo especial ao clipe.

Comente também sobre as suas impressões e expectativas sobre "Insensato Coração"! Estou acompanhando e logo, logo postarei novas avaliações.

Galeria: Vilãs de novelas (parte IV)

1. Bruna (Andréa Beltrão) - Era Uma Vez... (1998)
2. Leonor (Bia Seidl) - Jamais Te Esquecerei (2005)
3. Elizabeth (Deborah Secco) - Pé na Jaca (2006)
4. Adma (Cássia Kiss) - Porto dos Milagres (2001)
5. Loreta Pellegrini (Marieta Severo) - Pátria Minha (1994)
6. Fausta Gama (Lucélia Santos) - Cidadão Brasileiro (2006)
7. Judith (Deborah Evelyn) - Caras e Bocas (2009)
8. May (Camila Morgado) - América (2005)
9. Andréia Pereira (Natália do Vale) - Cambalacho (1986)
10. Ruth (Miriam Freeland) - Bicho do Mato (2006)
11. Jezebel (Elizabeth Savalla) - Chocolate com Pimenta (2003)
12. Yvone (Letícia Sabatella) - Caminho das Índias (2009)


3 comentários

15.1.11

"Passione" em 10 pontos

Amada e odiada. Durante toda sua trajetória, “Passione” viu o público dividido entre os que a adoravam e os que a detestavam. Sem meio termo.

Nesta sexta (14), a Globo exibiu o tão aguardado último capítulo da história de Silvio de Abreu, no qual milhões de expectativas foram depositadas. Descobrir a identidade do assassino de Saulo Gouveia (Werner Schünemann) era a maior curiosidade de todos nós. Curiosidade esta só saciada nos últimos minutos do longo derradeiro capítulo (quase duas horas de duração).

Entre prós e contras, este blog relaciona abaixo os pontos mais importantes de “Passione” em seus 209 capítulos. Confira os destaques do folhetim que parou o Brasil esta semana!


01. QUEM MATOU SAULO?
Clara (Mariana Ximenes) matou Saulo, para se vingar dos abusos sexuais que sofria dele na infância. De quebra, a vilã ainda castigou Fred (Reynaldo Gianecchini), incriminando-o pela morte do pedófilo tenebroso. Foi uma espécie de revanche, um troco à rasteira que ele (fogo) deu na loira má (gasolina) lá nos primeiros capítulos. Puxe pela memória e lembrarás que Fred ficou com a grana de Totó (Tony Ramos) e meteu o pé na bunda de Clara. Mas vamos voltar ao homicídio de Saulo... Achei tudo muito coerente e justificável, pelos motivos já citados. No entanto, essa história do assassino do “quem matou?” ser sempre o vilão já torrou a paciência nas novelas. O público tem que ser surpreendido, não decepcionado com o óbvio. No fim das contas, “Passione” nos ensinou uma preciosa lição com esse episódio: antes de pular em um travesseiro, verifique o que há debaixo dele.


02. VETERANOS
O elenco de “Passione” foi excepcional. Grandes estrelas da teledramaturgia brasileira reunidas como há muito não se via. Vamos nos ater aos mais experientes: Fernanda Montenegro, Tony Ramos, Irene Ravache, Francisco Cuoco, Aracy Balabanian, Cleyde Yáconis, Leonardo Villar, Elias Gleizer, Vera Holtz, Emiliano Queiroz, entre outros medalhões do cast da Globo. Brilho foi o que não faltou.


03. CARAS NOVAS
Mayana Moura, vivendo a mimada Melina, arrasou em seu primeiro grande papel na TV. A sua fase “quero o Mauro só pra mim, custe o que custar” foi um dos momentos altos da trama. Sem sombra de dúvidas, Mayana foi a grande revelação de “Passione”. Menções honrosas: Adriana Prado, que cresceu absurdamente como a Laura Peixoto, se tornando um dos elementos mais importantes da narrativa; Carol Macedo, que emocionou o público como a irmã boazinha de Clara, a Kelly; e, por fim, Júlio Andrade, o mordomo Arthurzinho, que já tem alguns anos de carreira nas costas, mas só agora conseguiu destaque na TV.


04. DROGAS
A abordagem da dependência química ganhou destaque novamente nas novelas globais. O personagem Danilo, interpretado por Cauã Reymond, era um campeão de ciclismo que encontrou nas drogas um refúgio para os seus problemas em casa. No fundo do poço, o rapaz conseguiu se reerguer, com a ajuda da família e dos amigos. Serviu como exemplo.


05. PUNTO E BASTA!
O uso do italiano foi um dos principais problemas encontrados pelo público para assimilar a história contada em “Passione”. Falas carregadas e entendimento quase zero das palavras ditas pelos personagens da Toscana (Itália). Senti necessidade da legenda algumas vezes.


06. O SEGREDO
Homossexual, pedófilo, necrófilo, traficante, fã do Restart... As suposições quanto ao segredo de Gerson (Marcello Antony) não foram poucas. Um mês e meio antes do fim da história, veio a revelação guardada a sete chaves pelo autor. O piloto de Stock Car era, na verdade, um voyeur, viciado em “sexo sujo e pesado”. O público acabou frustrado e considerou uma bobagem o distúrbio do personagem.


07. EXPLORAÇÃO SEXUAL INFANTIL
Silvio de Abreu alertou em “Passione” para o problema da exploração sexual infantil no Brasil. Para isso, o autor inseriu na história uma avó inescrupulosa e sua ingênua netinha. Valentina (Dayse Lucidi), assim como fez com Clara no passado, obrigava Kelly a ir pra cama com alguns clientes da sua pensão e até tentou vendê-la para um fazendeiro. Um assunto delicado e pouco tratado na ficção.


08. HUMOR
Apesar de tratar de temas sobrecarregados, “Passione” não deixou o humor de lado em nenhum momento. O núcleo do Jardim América, por exemplo, foi um dos grandes motivos para acompanharmos a trama das nove. A perua Clô Souza e Silva (Irene Ravache), com toda opulência e sua coleção de pérolas impagáveis, dispensou adjetivos. O personagem, inclusive, foi eleito por este blog como o “melhor da ficção em 2010”. O triângulo amoroso formado por Jéssica (Gabriela Duarte), Berilo (Bruno Gagliasso) e Agostina (Leandra Leal) também nos fez rir bastante. Menções honrosas: Lurdinha (Simone Gutierrez), Jackie (Alexandra Richter), Guida (Andréa Bassitt) e a safadinha dona Brígida (Cleyde Yáconis).


09. CHATOS
Ao mesmo tempo em que teve personagens estupendos, “Passione” nos trouxe figuras chatíssimas. O Tótó, por exemplo, pode ser apontado como o maior deles. Passou a novela inteira com um par de chifres na cabeça e só. Um dos trabalhos mais secos da carreira de Tony Ramos. Fernanda Montenegro, apesar de ter feito um belíssimo trabalho como a matriarca Bete Gouveia, também não escapa de uma citação aqui. Chata de doer. Para piorar, Silvio de Abreu nem se preocupou em dar um desfecho digno ao personagem. Dona Bete merecia um “sapato velho” no fim da história.


10. MALDADE
Não posso encerrar o post sem elogiar a performance de Mariana Ximenes como a esperta Clara. Brilhou em cena e soube construir uma vilã de primeira linha. Quem não se viu torcendo por ela em algum momento?! O final da serpente loira, a la Bia Falcão, agradou. Mariana firma-se como uma das melhores atrizes brasileiras. Reynaldo Gianecchini, em sua estreia como vilão, começou mal, mas conseguiu crescer significativamente na pele do vingativo Fred. Mesmo assim, “Passione” não foi um dos melhores trabalhos do ator.

Acho que isso é tudo. Gostaria de continuar comentando, mas o post já está se estendendo mais do que devia. No mais, “Passione” se despede como uma boa novela. Ficou devendo em algumas partes, mas, a meu ver, teve um saldo positivo: conseguiu deixar “Caminho das Índias” e “Viver a Vida”, ambas de 2009, no chinelo. Vou ficar com saudades...